Charissa e João // Mini wedding ao nascer do sol na casa Amadú // Cunha

Quando chegamos, o sol já estava cansado sobre a cidade de Cunha. Em uma pequena praça encontramos a Chari com seu sorriso de felicidade e o abraço apertado de sempre do João e dali seguimos para a casa Amadú. As pistas sinuosas nos levaram para o meio das montanhas e a uma vista de “mar de morros”. O céu no nublado não assustou ninguém, parece que todos nós sabíamos que a alegria vem pela manhã. 20 e poucas pessoas e só. Noivos, família, amigos próximos, fornecedores e só. Na mesma noite teve pizzada e uma reunião de como tudo ia acontecer: um casamento no nascer do sol. Depois, a Chari e o João se sentaram para escrever os votos do casamento que eles falariam juntos.

Por volta das 4h da manhã, a casa toda estava acordada. Alguns tomavam café, outros faziam maquiagem e cabelo, e a decoração tomava forma no escuro. A Charissa e o João também se arrumavam, o atraso não era uma opção, até porque o sol não se atrasa. Assim foi até estarmos todos prontos, pontualmente, apenas esperando os primeiros raios do sol.

No nascer do sol há muitos significados. Encontramos "o choro dura uma noite, mas a alegria vem pela manhã“ (Salmos 30:5). A manhã traz o começo e para eles era mesmo o início de um novo caminho. A entrada da Chari trouxe os primeiros raios de sol. A cena era exatamente como o João já havia sonhado: “quero uma montanha encontrando o céu.”

A cerimônia foi conduzida pelos pais dos noivos e a emoção tomou conta. Em um momento, a mãe da Chari ficou sem palavras, permaneceu em silêncio por alguns segundos e se emocionou. Foi lindo demais!

“As nuvens pareciam que estavam nos tocando, e o sol produzia raios entre elas que era difícil de acreditar, a vista a nossa frente era um chamado ‘mar de montanhas’ porque havia dezenas delas, para todos os lados, até onde nossos olhos podiam alcançar. Tudo parecia uma superprodução, algo cinematográfico, era a natureza fazendo o que sabe fazer de melhor, encantar”, lembra Chari.

O interessante é que esse casamento era para ter sido à noite e em um castelo. Verdade! Nada contra casamentos luxuosos, mas se assim o fosse não teria a identidade dos noivos. É preciso ousadia e coragem para enfrentar os padrões desse mercado de casamento. Tem que ter brinde? Tem que ter bolo? Valsa? Entrada de padrinhos? Se tem a ver com o casal, sim! Se não, não! É a busca por identidade que persegue o ser humano e quando ele a encontra, encontra a felicidade.

A Chari e o João juntaram a família para um final de semana incrível, transformaram a madrugada em making of, criaram um paleta de cores para a roupa dos convidados (e fotógrafos😉) e o buffet era café da manhã (com vários bolos e até sucrilhos!). Seus votos também foram diferentes. Não foram um para o outro, mas sim os dois declararam juntos suas promessas para todos ouvirem, seguindo um pensamento da Monja Coen. Agora dois são um. Um único propósito.

Depois do ensaio maravilhoso que tivemos com eles, numa luz perfeita, com tempo e calma, tomamos café da manhã e curtimos juntos a festa que se estendeu por todo final de semana. “O roteiro inusitado, sem visita técnica prévia, sem ensaio geral, reuniões virtuais, sem teste de iluminação, sem degustação de bolo, doces ou qualquer item do menu servido, foi capaz de retratar exatamente o que o nosso relacionamento representa para nós.”

“Jamais vou esquecer do momento da festa em que eu e João nos olhávamos desacreditados e falávamos: Deus fez mais! Nossos pais e convidados estavam tão surpresos quanto nós, nos parabenizaram por nossa escolha e diziam repetidas vezes que jamais haviam visto algo assim. Foi divino.” Ouvimos ainda da Chari “quero entrar na piscina, posso tirar o vestido já?” HAHAHA!

Nossos parceiros nesse casamento foram mais uma vez os Cabrita Filmes e a Fica Vai Ter Bolo Assessoria! Recomendamos sempre eles! 💛⚡️

POST-CJ-MARCELINOS-0060.jpg