Ina & Tohnes // Holambra

A casa está cheia. O amigo de infância desce a escada cantarolando uma música. Outro abre a geladeira sem pedir e pega um refrigerante. No canto da sala está o grupo dos amigos da faculdade, as duas meninas sentadas no sofá gargalham e relembram histórias. Em frente ao sofá há o casal de amigos que se conheceram no curso e se apaixonaram. O rapaz tem em uma mão um copo meio cheio e na outra as mãos da sua noiva que apoia a cabeça levemente em seu ombro e sorri. O casal fofo do grupo de amigos, sabe? Eles conversam com o amigo doido da cabeça que faz todo mundo rir dizendo apenas uma palavra ou soltando a piada na hora certa (ou não! HAHA!). As histórias dele são as melhores, principalmente as que ele entra em furada. O cara é uma figura! Seu cachorro passa correndo balançando o rabinho e chamando atenção, feliz com tantas visitas.

Mais outros dois amigos passam por você (sim, você está observando a cena acontecer a sua volta). Eles falam alguma coisa que a princípio você não entende, mas responde um "opa!", seguindo de um sorriso. O destino deles é a mesa de comes e bebes, cheio de quitutes salgados, pães, geleias, biscoitos (ou bolachas), bolos,  sucos, refrigerante e café, claro. A mesa está linda e colorida. E agora você supõe que os amigos, que agora estão se servindo, devem ter falado alguma coisa a respeito da comida ou que alguma coisa estava deliciosa. Tudo preparado com muito carinho por você e sua mãe. Ela acaba de colocar na mesa um bolo de cenoura fresquinho e é ovacionada por todos na sala. O bolo dela é maravilhoso! Depois agradecer os elogios, ela limpa os farelos e sujeirinhas da mesa. Essa mulher é incrível! Apoia tudo que você faz! Seu pai também está ali, sentado na poltrona com um livro interessante na mão. Você pensa que ele está alheio ao momento, mas não. Ele olha pra você por cima dos óculos de leitura e conta empolgado que "esse livro é muito bacana, você devia ler depois". Mãe e pai, esses são os melhores amigos de sempre e pra sempre, né?

Tudo está bem. Até que você sente duas mãos correndo por sua cintura, depois os braços e por último um corpo se juntando ao seu. O amor da sua vida chega e te abraça por trás. Um abraço simples, sincero e profundo. Em seguida, um beijo de leve nas suas costas diz sem dizer "eu estou aqui".  Vocês dois estavam observando os amigos, digo, a família que estava reunida em casa. Agora tudo está completo. 

Conseguiu imaginar e sentir o clima? Foi assim que nós nos sentimos no casamento da Ina e do Tohnes. Cercados de amigos, família e teve até o cachorrinho Garibaldi que entrou e roubou a cena. Muito amor, carinho e amizade. Foi uma honra fotografar o dia mais importante da vida dos nossos amigos! Obrigado por tudo, Ina e Tohnes!